quarta-feira, 27 de julho de 2016

Isenta de todo pecado atual.



ISENTA DE TODO PECADO ATUAL


A Bem-aventurada Virgem Maria no curso de toda  sua vida evitou todos os pecados, mesmo os veniais (cf. Cân 23 da Sessão VI do Concílio de Trento).

Provas: (Argumentos de Sto. Tomas de Aquino)

1. Porque era Mãe de Deus. Não teria sido uma Mãe digna de Deus se houvesse cometido qualquer pecado, pois tanto a glória, quanto a ignomínia dos genitores se refletem naturalmente sobre os filhos.

2. Porque estava estreitamente unida a Jesus, que era carne de sua carne. Ora, como escreve São Paulo na 2ª. Epístola aos Coríntios, que aliança pode haver entre Cristo e Belial (6,15).

3. Porque foi a habitação da Sabedoria Divina. Cristo é, com efeito, a sabedoria incriada, conforme se lê: “Para os que são chamados, quer dos judeus, quer dos gregos, é Cristo virtude de Deus e sabedoria de Deus (I Cor 1,24); e: A Sabedoria foi vista sobre a terra, e conversou som os homens (Bar 3,38)”. Ora, no livro da Sabedoria se diz claramente que a Sabedoria não entrará jamais numa alma má, e nem habitará num corpo sujeito ao pecado (1,4).

Comentando o texto – “Ave, cheia de graça” (Lc 1,28) – Sto. Alberto Magno diz: “Onde há algo de pecado venial aí existe algo vazio de graça. Portanto, nada que semelhe  a pecado existiu em Maria”.


Pe. P. Maria.

terça-feira, 26 de julho de 2016

Posse de todas as virtudes.



POSSE DE TODAS AS VIRTUDES


Ricardo de S. Vitor, teólogo do séc. XII, diz: “A Mãe de nosso Emanuel em todo sentido praticou as virtudes com consumada perfeição.”

Provas:

1. Maria possui todas as virtudes devido a sua inefável dignidade. Com efeito, foram justamente suas virtudes que a dispuseram convenientemente para a alta dignidade de Mãe de Deus. Por isso disse Sto. Agostinho, no seu livro “Sobre a natureza e a graça”, 36,42: “A Bem-aventurada Maria mereceu conceber e gerar a Deus.” E São Jerônimo: “Imagina-te a Bem-aventurada Maria que possuía tanta pureza, que mereceu tornar-se Mãe de Deus.” (Ep. 22, ad Eustoch.)
2. Maria possuiu a plenitude da graça santificante: “Ave, cheia de graça.” (Lc 1,28). Ora, as virtudes não são mais do que derivações da graça. Logo, em Maria havia todas as virtudes e em sumo grau.

3. As virtudes de Maria foram proporcionais ao amor singularíssimo que Deus lhe teve sempre. Ora, Deus lhe teve sempre muito mais que todas as outras criaturas juntas: “mais que os tabernáculos de Jacó.” (Sl 86,2). Logo, nela sozinha havia mais virtudes que em todas as criaturas.

Comentando o texto – “Em mim há toda a esperança de vida e de virtude.” Sto. Tomás diz diz: “Na aquisição de todas as virtudes podemos ter Maria como auxiliar.”


Pe. P. Maria.






















































































POSSE DE TODAS AS VIRTUDES

Ricardo de S. Vitor, teólogo do séc. XII, diz: “A Mãe de nosso Emanuel em todo sentido praticou as virtudes com consumada perfeição.”

Provas:

1. Maria possui todas as virtudes devido a sua inefável dignidade. Com efeito, foram justamente suas virtudes que a dispuseram convenientemente para a alta dignidade de Mãe de Deus. Por isso disse Sto. Agostinho, no seu livro “Sobre a natureza e a graça”, 36,42: “A Bem-aventurada Maria mereceu conceber e gerar a Deus.” E São Jerônimo: “Imagina-te a Bem-aventurada Maria que possuía tanta pureza, que mereceu tornar-se Mãe de Deus.” (Ep. 22, ad Eustoch.)
2. Maria possuiu a plenitude da graça santificante: “Ave, cheia de graça.” (Lc 1,28). Ora, as virtudes não são mais do que derivações da graça. Logo, em Maria havia todas as virtudes e em sumo grau.

3. As virtudes de Maria foram proporcionais ao amor singularíssimo que Deus lhe teve sempre. Ora, Deus lhe teve sempre muito mais que todas as outras criaturas juntas: “mais que os tabernáculos de Jacó.” (Sl 86,2). Logo, nela sozinha havia mais virtudes que em todas as criaturas.

Comentando o texto – “Em mim há toda a esperança de vida e de virtude.” Sto. Tomás  diz: “Na aquisição de todas as virtudes podemos ter Maria como auxiliar.”

Pe. P. Maria.



















sexta-feira, 15 de julho de 2016

Mãe Espiritual dos Homens



MÃE ESPIRITUAL DOS HOMENS


Sto. Agostinho diz: “Maria é Mãe dos membros de Cristo, que somos nós, porque ela cooperou, pelo seu amor, para que os fiéis  nascessem na Igreja, cuja cabeça é o Cristo.”

Provas:

1. Pela nossa incorporarão em Cristo, constituímos com Ele um só corpo Místico de que Ele é a cabeça; como escreve o Apóstolo: “Ele é a cabeça do corpo da igreja.” (Col. 1,18). Ora, os membros são concebidos, juntamente com a cabeça, pela mesma mãe. Logo, fomos concebidos misticamente por Maria e dela nascemos, como disse David: “Grande número de homens nasce nela.” (Sl 86,5).

2. Jesus Cristo, na Sagrada Escritura, é chamado de nosso irmão, como se lê: “Por esta causa não se envergonha de lhes chamar irmãos.” (Hb 2,11); e: “Ide dizer aos meus irmãos, para que vão à Galileia, la me verão.” (Mt 28,10). Logo, Maria é nossa doce Mãe.

3. Jesus Cristo, estando na cruz, nô-la deu como Mãe: “Eis aí tua Mãe.” (Jo 19,27).

Comentando o texto da Escritura: “Nasce ao mesmo tempo uma nação inteira? Porque São, logo que esteve de parto, deu à luz seus filhos.” (Is 66,8). – Sto. Antonio diz: “Maria, os deu todos à luz ao mesmo tempo neste sentido: Ela deu o que é para todos a CAUSA DA VIDA. Ela não os deu à luz todos de uma vez no sentido da APLICAÇÃO, que é feita às almas dos frutos da paixão, aplicação que produz, em realidade, a vida em cada alma, o que se faz no decurso do tempo.”


Pe. P. Maria.

quarta-feira, 13 de julho de 2016

Medianeira de todas as graças

MEDIANEIRA DE TODAS AS GRAÇAS


São Bernado assevera: É vontade de Deus que recebamos tudo por Maria. Confirma a Escritura: “Aconteceu que, apenas Isabel ouviu a saudação de Maria, o menino saltou no seu ventre e Isabel ficou cheia do Espírito Santo”. (Lc 1,41).

Provas:

1. Aquele que dá o maior deve também dar o menor, pois o todo inclui suas partes. Ora, Maria nos deu a fonte das graças, que é Jesus: “De sua plenitude recebemos graça sobre graça.” (Jo 1,16). Logo, também dar-nos-á as graças da fonte.

2. Uma mãe é medianeira nata perto do Filho. Ora, Maria é a “mãe de Jesus.” (Jo 2,1; At 1,14). Logo, Maria é Medianeira entre Jesus e os homens: “A mãe de Jesus lhe disse: Não tem vinho.” (Jo 2,1; At 1,14). Logo, Maria é Medianeira entre Jesus e os homens: “A mãe de Jesus lhe disse: Não tem vinho.” (Jo 2,3).

3. Quem cooperou na aquisição das graças redentoras convém ter parte na distribuição delas. Ora, Maria Santíssima cooperou na aquisição das graças (Redenção objetiva): “Por isso Deus os abandonará até ao tempo em que der à Luz Aquela que há de dar à luz.”  (Miq 5,2. Na vulgata: 5,3). Logo, coopera na sua distribuição (Redenção Subjetiva: “Tu, a fonte dos jardins, o poço das águas vivas, que com ímpeto correm do Líbano).” (Cânt 4,15).

Comentando o texto – Femina circumdabit virum (Jer 31,22 – Só na Vulgata) – O Cardeal Pie diz: “Nenhuma linha pode sair do centro de um círculo sem passar primeiro pela circunferência. Assim também nenhuma graça sai de Jesus, centro de todo bem, sem passar por Maria que o encerra, desde que o recebeu em seu puríssimo seio.”


Pe. P. Maria

domingo, 10 de julho de 2016

Assunção Aos Céus

ASSUNÇÃO AOS CÉUS


Dogma proclamado por Pio XII, na Bula Munificentíssimus  Deus. De 01.11.1950.

Provas:

1. Nossa Senhora é a Arca da Aliança, pois, como disse Sto. Ambrósio, Maria Trouxe no seio não só a Lei, mas o próprio autor da Lei. Ora, sobre a Arca, lê-se no Apocalipse: “Abriu-se no céu o templo de Deus, e apareceu a Arca da Aliança... Apareceu no um grande sinal: uma Mulher vestida de sol, calçada de lua e coroada por doze estrela” Ap 11,19; 12,1).

2. É impossível que se corrompa a carne de quem se fez carne o Verbo divino, como se Lê: “Não permitirás que o seu santo corpo experimente a corrupção” (Sl 15,10). Ora, Maria é carne da qual se fez carne o Verbo de Deus, conforme diz o Apocalipse: “feito de mulher” (Gl 4,4).

3. (Todas as graças concedidas aos santos não podem ser negadas a Maria: “Na plenitude dos santos está a minha  morada” Eclo 24,16 – Vulgata). “Ora, alguns santos foram isentos da corrupção do túmulo, como se lê: “Henoc andou com Deus e desapareceu, porque Deus o levou” (Gên. 5,24); e: Elias subiu ao céu no meio dum turbilhão” (II Rs 5,2,11).

Comentando o texto da Escritura: “Glorificarei o lugar dos meus pés (Is 60,13) – Sto, de Pádua diz: “Daqui se vê claramente que o corpo da SS. Virgem foi assunta ao Céu, pois era o lugar dos pés do Senhor.”

Pe. P. Maria.

sábado, 9 de julho de 2016

Virgindade Perpétua

VIRGINDADE PERPÉTUA

Dogma definido pelo Papa Martinho I, no Concílio ge Latrão, em 649.

Provas:

1. Infere-se necessariamente do privilégio eminentíssimo e sem igual de SER MÃE DE DEUS. De fato, a maternidade divina foi sacramento de consagração do seu corpo. Por isso, diz a Escritura: “Esta porta estará fechada; ela não se abrirá e nenhum homem passará por ela, porque o Senhor Deus de Israel passou por esta porta, e estará eternamente fechada” (Ez 44,2). Sto. Agostinho reflete: “que significa – estará eternamente fechada – senão que Maria será Virgem antes, durante e depois do parto?” (Serm. De Annunte. Dom. III).
2. Infere-se da honra e reverência devida a tal Filho. Com efeito, seria coisa ingratíssima e ofensiva ao mesmo Deus, Se Maria não tivesse se contentado com tal Filho, que é o Deus conosco. Lê-se: “Eis que a Virgem concebera e dará à luz um filho e o seu nome será Emanuel” (Is 7,14).

3. Infere-se do respeito ao Espírito Santo que descera sobre Maria. Não convinha, portanto, que o seio virginal de Maria fosse profanado por algum varão. Lê-se: “O Espírito Santo descerá sobre ti e o poder do Altíssimo te cobrirá com a sua sombra e o poder do Altíssimo te cobrirá com a sua sombra” (Lc 1,35).

Comentando o texto – “Como se fará isso, pois não conheço varão?” (Lc 1,34) – Sto. Agostinho diz: Decerto não diria isso, se não tivera feito antes a Deus o voto de sua virgindade” (De S. Virgin. (4,4).


(Pe. P. Maria.

quinta-feira, 7 de julho de 2016

Imaculada Conceição

IMACULADA CONCEIÇÃO

Dogmas:

1. Dogma proclamado do por Pio IX, na Bula Ineffabilis Deus, de 08.12.1854: Maria foi concebida sem pecado.

Provas:

1. Nossa Senhora foi destinada por Deus a reparar a culpa de Eva, conforme diz o Proto- Evangelho: Porei inimizades entre ti (a serpente) e a mulher (Maria), entre a tua geração e a geração dela. Ela te esmagará a cabeça (Gn 3,15). Ora, se Maria tivesse incorrido na mesma culpa, não haveria separação. Logo, Maria é Imaculada: ... longe da presença da serpente” (Apc 12,14).

2. Nossa Senhora é totalmente repleta de graças, conforme disse o Arcanjo Gabriel: “Ave, ó cheia de graça” (Lc 1,28). Ora, se lhe faltasse a graça original, já não seria plena de graças. Logo, até esta graça original Maria a encontrou: Não temas, Maria, pois achaste graça diante de Deus (Lc 1,30).

3. A carne de que se faria carne o Verbo de Deus devia ser mais santa que Eva ao ser criada, consoante disse Izabel: “Bendita és tu entre as mulheres (Lc 1,42). Ora, Eva foi imaculadamente criada. Logo, Maria é imaculada: “Toda és bela, amiga minha, e em ti não há mácula”. (Cant 4,7).

Cantado o texto: Veni columba mea, immaculata meea (Cant 2,13-14). São Jerônimo Diz: Maria apresenta em tudo a simplicidade da pomba, porque não há nela nada que não seja toda pureza, toda simplicidade, toda verdade e toda graça. Ela é, pois, Imaculada, pois não tem nenhum vestígio de corrupção.”



Pe. P. Maria